Capítulo 112

Quando saímos da escola, não pude evitar a ansiedade que tomou conta de mim naquele momento. O Jake não tinha ido às aulas naquele dia, o que me impediu de lhe contar tudo, e me forçou a adiar aquela conversa.
- Porque será que o Jake faltou hoje? – perguntou a Cassie, intrigada.
- Não sei… estará doente?
- Ná… Talvez tenha tido preguiça! HAHAHA! Já me aconteceu muitas vezes…


- Vou procurá-lo ao campo. Se calhar ele está lá… passa a vida lá – disse, enquanto soltava uma leve gargalhada.
- Como é que achas que ele vai reagir?
- Mal… mas estou preparada!
Quando chegámos ao fim da rua da escola, a Cassie seguiu o caminho para a sua casa, e eu segui o caminho para o campo de Rugby. Notava perfeitamente a sua tristeza, embora a tentasse disfarçar. Depois de ter recebido aquela notícia, ela nunca mais ficou a mesma. Mesmo rindo-se, tendo aquelas atitudes histéricas ou soltando piadas sem graça, notava nitidamente que ela se sentia em baixo. Custava-me vê-la assim, e custava-me ainda mais ter que me despedir dela de uma vez para sempre.
No meio daqueles pensamentos que me envolveram numa nuvem de nostalgia, dei por mim junto do campo de Rugby. Mesmo ao longe conseguia ouvir os gritos de vitória do Jake. Presumi logo que ele estava a jogar.


Empurrei os portões da bilheteira do estádio, que estavam entreabertos e pisei o relvado do campo. Nesse momento uma brisa embateu contra a minha face. Uma brisa gelada, típica daquela tarde de Inverno.
Avancei, arrependendo-me por não ter trazido o meu casaco, pois o frio aumentava a cada passo que eu dava. O Jake estava a jogar com os seus amigos, por isso não me vira. Andei pelo campo e olhei em redor. Foi lá que conheci o Jake pela primeira vez… e que vi a Igreja dos Três Bispos. Foi então que me recordei do quanto a minha vida mudou num espaço de quatro meses.


Fiz sinal ao Jake, acenando com o braço, esboçando um sorriso forçado. Ele correu até mim, ofegante.
- Oi, amor! Não estava à espera de te ver aqui! – exclamou, enquanto me dava um beijo.


- Porque não vieste às aulas?
- Ah, sentiste a minha falta?! – indagou, rindo-se.
- Parvo… diz! Porque é que faltaste!
- Acordei tarde, por isso não achei que valesse a pena ir só à última aula. Eu depois digo à professora.
- Está bem…
Engoli seco e olhei para os amigos do Jake, que o esperavam olhando para ambos, como que nos controlando.
- Huh… podemos falar? A sós?
- Claro… anda.
O Jake conduziu-me para a outra parte do campo, para as últimas bancadas do flanco esquerdo.
- Estás-me a preocupar, o que se passa? – perguntou, enquanto se sentava num banco.
- Não tens razão para te preocupares. Não é nada de grave… penso eu…
- Deixa-te de rodeios! – exclamou, impacientemente – O que se passa!
Respirei fundo e fechei os olhos. Nesse momento veio-me à cabeça a imagem de Fort Sim a afastar-se de mim, ao longo a Auto-Estrada 16, a estrada que dava a acesso á cidade. Via-me no carro do pai, com este a transbordar de malas de viagem.
- Melody?! – chamou o Jake, estalando os dedos.
- Jake… - comecei, abrindo os olhos lentamente – eu vou ser muito directa! Acho que este é um assunto que não merece rodeios.


- O que se passa?
- Eu… eu vou mudar-me! Vou para outra casa… outra cidade.
A expressão do Jake mudou rapidamente. Agora denotava um misto de preocupação e tristeza.
- Tu vais o quê? Mudar-te? Assim? Sem mais nem menos? Porquê?
- Jake, vais ter de me compreender! Eu já não aguento mais estar aqui, nesta cidade. E não é só esta cidade… é a minha própria casa! Eu não consigo, Jake! Pensar as coisas que já se passaram lá…
- Porque não mudas, simplesmente, de casa? Era mais fácil para os dois! – notei que o tom de voz do Jake também mudara, ficando mais fria.
- Não é só a minha casa! Tenta compreender! Aquela Igreja, os jardins… vêm-me sempre visões à cabeça, e eu tenho a certeza que não serão as últimas! Eu… eu quero começar uma vida nova…
- E esqueceres tudo o que já viveste…?


- S-sim…!
- Queres… esquecer os momentos que passámos juntos? Queres esquecer-me a mim? A nossa relação!
- Jake, não vás por esse caminho! – exclamei, a minha voz a tremeluzir a cada sílaba.
- Vou sim… porque é a única razão que eu vejo para te mudares, assim, de repente! O que te passou pela cabeça Melody?
- Jake! Por favor, tenta compreender-me! Não sou só eu! O meu pai também está assim! Pensa só no que ele já sofreu, também não achas que ele merece uma vida melhor? Uma vida nova? Estar sempre a pensar no passado, na morte da minha mãe, não é benéfico para nós! Não percebes isso?
- E a solução é mudares-te! Melody, eu e a Cassie dávamos-te apoio, tudo o que fosse preciso! Isso não te chegava?
- E quando eu chegava a casa? Não tinha uma família? Uma vida privada? Sempre que lá chegava começava a pensar as coisas piores do mundo, que, na realidade, já aconteceram, e que eu não paro de as recordar!


- Melody! Segue em frente! Tu não paras de as recordar porque, simplesmente, não consegues! Não queres!
- Exactamente, Jake! É exactamente por isso que eu me quero mudar, porque é a única maneira de conseguir e querer esquecer todas aquelas recordações que me põem tão triste!
- Mas tu não percebes que ao te mudares estás, não só a esquecer essas “recordações, mas também a esquecer-me a mim? O nosso amor?
- PENSAS QUE É FÁCIL PARA MIM? Também tenho amizades que me vão custar muito a largar! A Cassie, por exemplo! Mas Jake, eu percebi que é o melhor para mim! E nós nunca perdemos contactos…
- Oh, por favor… não me venhas com essas conversas de relações à distância! Isso comigo não serve, Melody! Pensava que eras diferente!
- Eu é que pensava que eras diferente! Eu conheço a Cassie há mais tempo, e ela compreendeu-me! Esperava que tu, como meu namorado, também percebesses!
- E percebo… percebo que queres deixar tudo para trás… esquecer as pessoas que gostam de ti. Esquecer-me a mim!


- Jake! Que disparate!
- Sim… chama-lhe de disparate… Sabes, de todas as raparigas que eu andei, não houve nenhuma que eu gostasse mesmo… até apareceres tu! Mal olhei para ti achei que eras diferente… diferente de todas as outras raparigas! Mas enganei-me!
- E eu também pensei que tu eras diferente Jake… que me apoiarias neste momento. Pensei que me compreendesses!
- Não consigo!!! Nem me peças para tentar, porque também não quero! Eu fiz os possíveis para manter uma relação contigo, mas tu não te estás a esforçar nada!
- Jake, eu nem acredito que estás a dizer isso!


- Podes acreditar! Porque acabou, Melody! Sê feliz… e escolhe o caminho que quiseres… não me importa!
Nesse momento, o Jake virou-me costas e saiu do campo. Os seus amigos pararam de jogar, ao verem a sua cara furiosa e a sair de rompante do estádio, deixando-me ali sozinha. O Michael chegou-se ao pé de mim, tentando perceber o que se tinha passado.
- Está tudo bem, Melody?
- Está… tudo bem! Tenho de ir! Tchau!
Não consegui disfarçar a raiva que sentia. Peguei na minha mala e saí do campo num passo acelerado. Eu já previa que a reacção do Jake não ia ser boa, mas nunca pensei que chegasse àquele extremo. Tinha acabado tudo! A nossa relação tinha acabado! Apesar de não acreditar, tinha de me conformar com os factos. O Jake não se esforçou nada para me compreender, e eu esperava exactamente o oposto! Esperava que ele, como um rapaz especial que eu achava que era, ia tentar compreender e apoiar-me com a minha decisão… mas enganei-me redondamente!
Sentia um misto de raiva e tristeza, não conseguindo segurar uma lágrima que me caiu do olho, seguida de um soluço, enquanto regressava a casa.


3 Response to "Capítulo 112"

  • Diogo Says:

    Não consigo comentar.. quer dizer, consigo mas nao daquela maneira pk este capitulo tem mais historia do que a quela que colocas-te! Está muito bom e gostei de uma fas fotos que o olhar estava igualzinho á tua descrição e as outras estavam brilhantes claro. Parabéns


  • Desi Says:

    AQUELE ESTÚPIDO, PARVO, HORROROSO PARVALHÃO! -.-
    Odeio-o!
    Coiso parvo...
    Mas bem, o episódio está maravilhoso, lindo, perfeito, as emoções fluiram desde o texto até mim como água! PERFEITO!

    PS: comentei o vídeo :D


  • mmoedinhas Says:

    Não sei porque (*protege-se* nao me batam!), mas acho que... CONCORDO COM O JAKE! (menos na parte em que ele disse que "tu não te estás a esforçar nada!" tsc)Quer dizer, ela ao ir-se embora claro que teria de perder o namoro, namoro a distancia nao dá! a amizade com cassie ainda esta bem, mas namoro... nope!
    Mas ao mesmo tempo, a melody... A tristeza e a nostalgia *poe maos na cabeça a agarrar o cabelo toda frustada*
    coitada da melody, ja perdeu tanta coisa... sera que vale mesmo a pena ir? mas e a decisao dela (*sussurando* melody na vás, que eu duvido que encontres outro sim-gato como o jake filha...)

    super hiper coment?


Postar um comentário