Capítulo 101

Chegámos à escola e dirigimo-nos ao Bar. Quando lá entrámos vimos logo a Cassie a agitar os braços muito depressa, para nos irmos sentar ao pé dela. Sentámo-nos, com copos de sumo na mão, que tínhamos comprado.
O bar estava atafulhado de gente a comer bolos e beber refrigerantes, a conviverem ou simplesmente sentados nos puffs a assistir ao enfadonho programa que a pequena televisão do bar, ainda de raios catódicos, transmitia. Ao fundo do bar, meio escondidos pela multidão, encontravam-se o Dave e a Lilly. Em cima da mesa tinham dois copos de leite com chocolate, que sorviam delicadamente. A julgar pelos livros que tinham espalhado, deveriam estar a rever a matéria, embora eu desconfiasse seriamente que o estudo não estava a ser levado muito a sério.
- Vou contar uma anedota – anunciou o Jake, com um sorriso malicioso.


- Força – disse a Cassie, ingerindo o seu sumo de maçã.
- Um galo sugere ao outro que vão ao supermercado nessa tarde. E um dos galos, admirado, pergunta “para que queres tu ir ao supermercado?” e o outro responde: “para ir ver as galinhas despidas, como é óbvio!”
A Cassie desmanchou-se em gargalhadinhas histéricas, e eu enveredei pelo mesmo caminho. De repente, o Jake tocou-me ao de leve no ombro e disse, apontando para a porta do bar:
- Olha para trás, Mel!


Olhei para onde o Jake indicara e quase desmaiava de surpresa. Era a Sarah que se encontrava à porta do bar! Vestia umas calças pretas e uma túnica cor-de-rosa que marcava a sua cintura fina. Apesar da roupa esbelta que usava, havia algo nela muito diferente. Já não ostentava a sua habitual expressão segura e convencida. Na realidade, deixava transparecer alguma insegurança e inquietação. Parecia uma pessoa completamente nova.


- Sabes, Melody… o meu avô tem uma quinta, e na sua casa ele colecciona cabeças de animais embalsamadas! Se calhar ele iria querer ter lá a cabeça da Sarah! – Ao dizer aquelas palavras horripilantes, a Cassie soltou uma gargalhada histérica.
- A Sarah nem é um animal! – Corrigiu o Jake.
- Para mim é… uma cobra! – Soltou outro riso histérico.


- Bem, eu vou lá falar com ela – disse, levantando-me.
- Estás maluca? – Indagou o Jake.
- Não! Acho que não faz mal nenhum ir lá falar com ela, portanto, com licença.
- Tem cuidado Melody! – Exclamou a Cassie – Ela pode morder-te e o seu veneno pode entranhar-se nas tuas veias para sempre! Depois passam a ser duas cobras venenosas!
Não respondi àquela observação absurda e virei costas, encaminhando-me para a mesa onde a Sarah se tinha sentado.
- Sarah?
Ao ouvir a minha voz, ergueu a sua cabeça, e a sua expressão lunática transformou-se numa de alívio, juntamente com um sorriso simpático, pelo que eu fiquei extremamente impressionada, pois nunca tinha visto tal sorriso na sua cara.


- Olá, Melody!
Sentei-me junto a ela. Quase que podia imaginar, atrás de mim, a Cassie com os olhos muito esbugalhados a observar-nos, com uns binóculos que trás sempre na sua mala. Mas nem me dei ao trabalho de me ralar com isso, e concentrei-me na minha conversa com a Sarah.
- Então… como estás? – Perguntei, com delicadeza.
- Bem… estou bem…
- Faltaste à escola por muito tempo…
- O que querias que eu fizesse? Se eu aparecesse… bem, tu sabes o que me aconteceu.
- Sim, sei. E lamento imenso. Não sabia que aquela jornalista ainda estava a escutar a nossa conversa.


- Deixa lá… não te preocupes. Se calhar até foi o melhor que me pôde ter acontecido.
- A sério?
- Sim… Não podia mentir às pessoas por muito mais tempo – notei que a sua voz se tornara trémula.
- Sarah, porque escondeste aquilo durante tanto tempo? Porque é que achavas que essa notícia te poderia destruir a carreira?
- Já destruiu, Melody.
- Se tu tivesses contado a verdade às pessoas desde o princípio já não ta destruiria! Além disso, há tantas modelos famosas que são órfãs, ou têm pais divorciados ou até vivem em quintas! E achas que alguma delas desistiu?
Permaneceu em silêncio, olhando para baixo fixa e incansavelmente.
- Olha… diz-me uma coisa… como é que tu soubeste de tudo? – Indagou – Foi algum espião? Os meus pais? Espera… tu não conheces os meus pais… na verdade, nem eu os conheço bem…


- Como eu soube? Isso é irrelevante…
- Sim, tens razão.
- Tu não conheces bem os teus pais? Os… adoptivos?
- Não… em pequena eles aproximaram-se de mim, mas eu era uma miúda, por isso eu mal me lembro. Agora eles só se interessam pelo trabalho.
Sorri ligeiramente, para libertar aquele ambiente de tensão que começava a surgir lentamente.
- Desculpa, Melody! – lamentou a Sarah – Desculpa por tudo o que te fiz passar! Eu falei-te mal, gozei-te… Não o devia ter feito. Até te estou eternamente grata!
- Porquê? Eu não fiz nada!


- Fizeste! Fizeste-me abrir os olhos… se não fosses tu eu continuava cega em relação à realidade. Eu recusava-me a aceitá-la, mas graças a ti, aceitei-a com a maior das facilidades! Obrigada!
- Oh, não me agradeças. Bem… está quase na hora, vou ter ali com a… Cassie, e com o… Jake.
- Vocês fazem um casal muito bonito! Tu e o Jake!
Sorri, perante aquele elogio inesperado, e virei costas instantaneamente, retornando à minha mesa onde a Cassie não hesitou em bombardear-me com perguntas.

3 Response to "Capítulo 101"

  • Diogo Says:

    ADOREI!
    Este capitulo aproximou-nos mais do fim o que é uma pena!
    Adorei muito mesmo e este dialoo foi um dos centenas que fizeste e os quais adorei!
    CONTINUA PFF pk este adorei e ainda tenho esperaça que fiquem todos amigos, um final feliz diagamos assim hahahaha:
    PARABÉNS


  • mmoedinhas Says:

    Primeiro que tudo: anedota muito seca, Jake xD
    Segundo: ainda bem que a Sarah voltou! Vê-la sem maquilhagem faz-me ver como ela é realmente bela... E agora simpática... Estou a começar a gostar dela! :O
    Oh Cassie pára de ser infantil... xD (*Cassie sussura* olha quem fala)

    Aaaaaa.tao.perto.do.fiiiim


  • Desi Says:

    CHOQUE! o.o
    A Sarah mudou ainda mais do que eu pensava... O.O
    A sério, estou em choque, já nem parece ela...
    Mas está muito melhor assim, definitivamente!
    Continua! (até ao fim... *chora*)


Postar um comentário