Capítulo 49

Olhei em redor, observando a minha escola completamente mudada, até o comportamento dos alunos era diferente, pois, diferenciava-se do comportamento dos meus colegas pela serenidade, tolerância e educação. Bem dizia o meu pai: «Esta juventude já não é o que era». Confesso que por vezes me ria com aquela expressão do meu pai, e de todos os homens da sua idade, pelo simples facto de a achar antiquada e ultrapassada, mas, dadas as circunstâncias, vou ter de lhe dar uma certa razão.
Mas mal tive tempo de observar todos os pormenores diferentes que se erguiam aqui e ali, pois o tempo avançou incrivelmente depressa, levando consigo todos os alunos, objectos e cores que se achavam na escola, fazendo alguns desaparecer pela escuridão, e outros simplesmente desfazerem-se em fiapos continuando a flutuar naquela imensidão.
Fui parar a um parque, onde à sua frente se começava a erguer através de farrapos de sombras, um belíssimo Restaurante.



Era noite, o que mostrava que o tempo tinha avançado radicalmente depressa. Olhei para o céu nublado, fiapos cinzento-fumo e prateado a deslizar pela superfície da lua cheia perfeitamente branca e florescente.
Avancei, num passo deslizante até à esplanada daquele luminoso restaurante, sentindo a gravilha do carreiro da saída do parque a estalejar por baixo dos meus pés. O restaurante destacava-se pelas suas luzes florescentes e brilhantes, no meio daquela assombrada e pouco movimentada rua. Tinha um aspecto subtil e clássico. Não era muito extravagante em termos de decoração, mas era agradavelmente acolhedor.
Segui naquele estranho carreiro que ia desembocar à entrada da esplanada, onde se erguia um portão de ferro forjado. Nem me dei ao trabalho de o abrir, apenas o interceptei, como se fosse puro e ligeiro fumo. No meio das dezenas de mesas, a do extremo da vedação metálica que circundava aquela esplanada foi a que se destacou mais na minha visão, pois era onde o meu pai e a minha mãe se encontravam sentados.
Aproximei-me com um enorme sorriso na cara e com o coração aos pulos. Pelo que parecia, o jantar estava a correr muitíssimo bem, pelos sorrisos e risinhos provenientes da boca um do outro. A mãe comia envergonhadamente, com receio de se sujar ou de não ter maneiras.



O pai, com a sua façanha sedutora que eu nunca soube, levava uma garfada de arroz de marisco à boca e ficava especado a olhar para bonita face da mãe, deixando esta um pouco incomodada mas ao mesmo tempo eufórica e entusiasmada.
- Bem… - Disse a mãe com uma voz rouca. – Já acabaste o teu trabalho de Biologia? O prazo de entrega é amanhã!



- Sim, já acabei…
- Ah… e… o de História? Sabes que a professora…
O pai interrompeu-a, pegando-lhe suave e amorosamente na mão, com os seus olhos a fitarem os delas e com a voz ligeiramente trémula e num tom reduzido:
- Melody… eu queria falar sobre mais alguma coisa sem ser da Escola… Vamos falar sobre…
nós.



- Nós? – A mãe pigarreou, mas rapidamente se estendeu para um forte e sonoro engasgo.
- Estás bem?
- Sim… - Disse ela tentando recuperar. – O que ias a dizer?
- Bom… huh…
Rapidamente um elegante empregado se dirigiu a eles, com uma travessa na mão, em cima da qual repousava um monte de loiça suja.
- Desejam sobremesa?
- Eu desejo! – Apressou-se a dizer a mãe, visivelmente avermelhada pela sua timidez, coisa que eu nunca esperava.
- Temos as mais variadas sobremesas: Profiteroles, Pudim
Flan, Bolo Angelical, Gelado da casa, Mousse de Chocolate, Mousse de manga…
- Podia vir mais tarde por favor? Ainda estamos a decidir! – Exclamou o pai, começando a ficar nervoso pelas interrupções.
- Com certeza! Então, aqui fica a lista para o caso de terem dúvidas, assim como o nosso panfleto de promoções, vendemos dois vinhos pelo preço de um e… ah, já provou o famoso Bolo de Bolacha?
-
Não! – Vociferou o pai. – Nós… nós vamos decidir, por livre e própria vontade! Obrigado meu senhor!
O empregado recolheu os pratos sujos e correu até ao interior do restaurante. A mãe revirou os olhos do empregado para o pai com uma cara aterrada.
- Bem… ele estava a ser simpático. – Disse a mãe.
- Não creio… - Respondeu o pai com um ar céptico. – Apenas um empregado chato. Mas… não era disso que eu queria falar.



Mais uma vez, a mãe engoliu seco, com os olhos arregalados e olhando em redor tentando descobrir algum motivo para interromper uma vez mais o discurso do pai, porém, nada pareceu estar do seu lado, obrigando-a a ouvir nervosamente o que o pai lhe tinha para dizer.
- Bem… eu tenho estado a pensar muito nisto… muito mesmo… até que cheguei a uma conclusão. Melody… - Pousou as suas mãos por cima das dela. – Eu… eu… eu amo-te!



Nesse momento, a expressão da mãe variou de apática para chocada que por sua vez mudou para uma cara nervosa e histérica. Levantou o braço, pedindo a conta ao empregado. O pai com a sua expressão desapontada e sem esperanças, mas assim que pagaram o jantar a meias a mãe levantou-se, pegou no braço do pai e levou-o para fora da esplanada.
Eu segui-os, num passo acelerado e entusiasmado. Quando chegaram ao parque que se achava diante daquele restaurante, a mãe empoleirou-se nos braços do pai, com um enorme sorriso acompanhado de um histérico e perfeitamente audível guincho.





As suas caras retratavam felicidade, amor e ternura. Os olhos dos dois reluziam à fraca luz do luar, e estavam amorosamente entrelaçados um no outro, envolvendo os braços nos seus pescoços. Aqueles risos e expressões divertidas estacaram por completo quando os lábios um do outro se tocaram ternamente.



5 Response to "Capítulo 49"

  • Diogo Says:

    QUE RO MAN TI CO!
    Só tu para pores estas fotas para nós nos deliciarmos mais!
    ADOREI COMO SEMPRE E continua sff! POR FAVOR


  • mmoedinhas Says:

    AI, sem ofensa mas eles são os sims mais giros que já vi (desculpa sarah, cassie, melody, jake e até o dave (desculpa dave xP Não te preocupes continuas a ser o meu preferido ^^) A cara que o pai fez na 5º foto a contar de cima foi mesmo... ai ai Eles fazem um casal tão girooooooooooo

    Deg deg


  • Tudy Says:

    HEHEHE, a mim não me ofendeste, mas a Melody está farta de chorar aqui ao pé de mim hahaha. Ela e a mãe são parecidas, pelo menos na minha opinião xD.
    Obrigado aos dois! ;)


  • Desi Says:

    Está simplesmente perfeito!
    A sério, adorei mesmo!!
    Está tão giro!
    Eles ficam tão bem juntos! *-*
    Querrroooo Maaaaiiiis!

    (Viciado u___u )


  • Mr.Lis Says:

    Adorei!
    Estou a pressentir que a Melody esta prestes a descobrir tudo....

    Adorei!
    Parabéns!


Postar um comentário